Caso Camilla: Perícia pode confirmar que não houve tiro acidental, mas sim execução
Publicado por: Josely Carvalho | Data: 03/11/17

Caso Camilla: Perícia pode confirmar que não houve tiro acidental, mas sim execução

A perícia feita em cima do corpo da estudante de Direito Camilla Abreu pode confirmar que ela foi morta por execução e não por tiro acidental, como alegam os advogados de defesa do capitão da Polícia Militar Allisson Wattison.

Foi o que informou o diretor técnico científico do Instituto Médico Legal (IML) Antonio Nunes, em entrevista no início da tarde desta quinta-feira (02/11) ao programa Jornal do Piauí, da TV Cidade Verde, apresentado por Joelson Giordani.

“Em tese, a jovem pode ter sido morta realmente por execução. A princípio não podemos dizer que foi um disparo a queima roupa, mas nossos trabalhos de perícia têm chegado a um trabalho que vai colaborar bastante com as investigações da Polícia a respeito deste caso”, afirmou Nunes.

Acusado de homicídio, podendo ter uma pena aumentada se enquadrado como feminicídio, além de ocultação de cadáver, Allisson disse em seu depoimento que o tiro que matou Camilla foi disparado de maneira “acidental”, após uma discussão dentro do próprio carro, um Toyota Corolla de cor azul.

Segundo Antonio Nunes, pela forma em que foi encontrado o corpo é possível identificar como foi o tiro. “Foi de cima para baixo, levemente para mais perto do rosto, e da direita para esquerda. Perfurou e atravessou a cabeça. A partir deste ponto já temos alguns indícios que batem com os rumos do que a Polícia investiga, mas não podemos dar mais detalhes neste momento. Somente amanhã (sexta-feira) teremos mais detalhes”, informou.

Camilla pode ter sido vítima de execução (Foto: Reprodução)

COROLLA, BANCO DO CARRO, ARMA…
Nunes destacou que o carro usado por Allisson, o seu Toyota Corolla, está apreendido para ser periciado. A partir do carro mais detalhes poderão confirmar se houve mesmo a execução. Pode ser que Allisson tenha atirado em Camilla do lado de fora do carro. Além disso, os bancos do carro foram trocados e são importantes serem encontrados para ajudar nas investigações. “A única dúvida que ainda temos é se a arma que disparou é a mesma que ele (Allisson) usava. Se é a que ele entregou no batalhão onde atuava (8º BPM). Por isso estamos tentando encontrar o projetil”.

Antonio Nunes simula a posição de como foi o tiro em Camilla (Foto: Reprodução)

CORPO EM DECOMPOSIÇÃO, MARCAS DE SANGUE…
A forma como o corpo foi encontrado, mesmo em avançado estado de putrefação, também colaborará no trabalho pericial. As marcas de sangue, para que lado escorreu, da mesma forma, segundo o experiente perito do IML de Teresina. “Se houve alguma tentativa (por parte de Allisson) de dificultar o trabalho da perícia, não adiantou muito. Ele deixou indícios suficientes (para incriminá-lo). Claro que um corpo em decomposição pode trazer mais prejuízos, mas pouco atrapalha no que temos feito. Muitas coisas ajudam, como a datação da morte, estado de putrefação, marcas de sangue e até as larvas que entram no corpo. O bom que possuímos uma equipe experiente ainda estamos com apoio de quatro peritos do IML de Timon. Acredito que amanhã (sexta) nos debruçaremos nos detalhes que faltam para serem repassados à Polícia”.

Allisson pode ter atirado em Camilla do lado de fora do seu carro (Foto: Reprodução da TV)

Fonte: Oito meia

Foto: Lucas Dias | GP1

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

DESTAQUES

Com elevação dos rios, prefeito irá decretar estado de calamidade em Teresina

O prefeito Firmino Filho anunciou que irá decretar estado de calamidade em Teresina. A decisão se deve pela cheia do Rio Poti e das fortes chuvas que caem na cidade.

São Julião

Em São Julião, reunião debate problemas que serão cobrados em Audiência sobre Segurança Pública

Uma audiência pública conjunta será realizada no dia 22 de março, em Fronteiras, envolvendo prefeitos, vereadores, Ministério Público, Policia Militar e Civil, advogados, representantes da Segurança do Estado do Piauí

DESTAQUES

Para evitar novos riscos, W. Dias assina projeto para recuperação de barragens no Piauí

O governador Wellington Dias esteve em reunião com o diretor do Idepi, Geraldo Magela, para tratar sobre ações preventivas em situações de enchentes nesta quarta-feira (06/06). O Piauí teve um