Reportagem da TV Clube mostra sofrimento de moradores de Padre Marcos com a falta de água e perda da colheita
Publicado por: Odaliana Carvalho Veloso | Data: 24/06/19

Reportagem da TV Clube mostra sofrimento de moradores de Padre Marcos com a falta de água e perda da colheita

A reportagem da TV Clube, esteve em  Padre Marcos, onde os repórteres Antônio Rocha e Sávio Magalhães,   mostraram os problemas enfrentados pela população com  falta de água. A reportagem foi exibida  neste domingo, 23, durante o  programa Club Rural.

No município de Padre Marcos,  localizado no semiárido piauiense,  a população  da zona urbana de sofre com a falta de água potável para o consumo, e na zona rural a água que abastece as cisternas está com os dias contados.  Além disso,  as chuvas  registradas nos primeiros meses do ano, não foram suficientes para garantir a colheita e parte  da produção foi perdida.

No interior do Piauí, a água potável é um bem cada vez mais  mais raro  e caro. Em  Padre Marcos a 392 km da Capital Teresina, a população de quase 7 mil habitantes compra água para beber e cozinhar.

O morador  Vitalino Francisco da Silva,  aproveita a água da chuva para  armazenar em  tambores, e quando a água acaba, o agricultor passa a comprar  de pipeiros. “A gente paga R$ 12 reais para cozinhar e R$ 25 para beber”, relatou ele à reportagem da TV Clube.

O município é abastecido pela barragem do Estrito, localizadas em Francisco Macedo,   mas a água que sai da torneira é imprópria  para o consumo humano. Segundo a agricultora  Maria da Conceição Silva, a água que  vem do Estreito é salgada e não serve para cozinhar e nem beber, apenas  para tomar banho, limpar a casa e lavar a louça.

A reportagem seguiu a até a zona rural do município para ver como funciona o abastecimento de água rural, onde as cisternas já fazem parte da paisagem  e são o principal reservatório de água  potável.   Na localidade,  Curral Velho,  localizado a 15 km de Padre Marcos, residem 60 famílias e todas dependem da água das cisternas, que, felizmente, nesse período estão abastecidas com água da chuva.

“Por enquanto, estamos usando a água da chuva, quando acaba a gente precisa fazer um esforço para comprar”, explicou a dona de casa, Marli Macedo, que  reside na referida comunidade rural.

O período chuvoso até deu uma aliviada para quem está acostumado a comprar a água,  mas para agricultura as chuvas registradas  não foram suficientes para garantir a produção. Nos últimos quatro anos os agricultores da região  vem  tendo prejuízos com a plantação  de milho e feijão. Para tentar mudar essa realidade, esse ano, eles resolveram plantar algodão, só que a falta de chuva, aliada a praga  do bicudo, mais uma vez trouxe prejuízos para o homem do campo.

Com tanta dificuldade para produzir, o sentimento de desânimo, toma conta dos agricultores. “Tem pessoas que já até abandonaram as propriedades, plantar para que? Se não tem inverno  para o legume se criar, a gente esmorece mesmo”, lamentou  o agricultor, Nilo Luiz  de Carvalho, que frisou  que  a sua  produção  não cobriu nem as despesas que teve para plantar.

Para o agricultor,  Geraldo Libânio Macedo, a despesas foram ainda maiores, ele inicialmente  plantou algodão, mas não nasceu, então resolveu plantar o milho que, também, não deu certo. Nos dois casos, faltou uma coisa, a chuva. “O problema é a chuva que não tem. Chove e o milho nasce, mas no mês de segurar  não teve chuva, ai perdi”, relatou Geraldo.

Nos últimos anos, essa tem sido a dura realidade do sertanejo, que planta, mas não consegue colher, e para piorar  anda mais a situação, a dois anos ninguém recebe o Seguro Safra no  município.

Gracilene Carvalho, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Padre Marcos disse  que o boleto é pago pela agricultores, mas o governo não paga a contrapartida.  ” O agricultor de Padre Marcos deveria receber o seguro  safra,  por conta da situação  que  passam, eles conseguem sobreviver se tiver o inverno para plantar e colheram, se o homem do campo perde a safra como ele vai sobreviver”, questionou a presidente em entrevista à TV Cube.

De acordo com a reportagem, em nota, a Secretaria de Estado da Agricultura Familiar, já começou o pagamento  do Fundo do Garantia Safra referente ao período  2017\2018 na região ao qual faz parte o município  de Padre Marcos. Ainda segundo a nota,  apesar da atual conjuntura econômica, o governo do estado vem mantendo o compromisso firmado com a Coordenação  Nacional  do Fundo Garantia Safra.

          

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

DESTAQUES

Prefeito Agenilson investe em Saúde e anuncia aquisição de três veículos e inauguração de três UBS

Em Patos do Piauí, a Saúde tem sido uma das áreas prioritárias na gestão do prefeito Agenilson Teixeira Dias – PSB, médico por profissão, que por muitos anos atuou em

Belém do Piauí

Seca castiga animais e preocupa o homem do campo em Belém do Piauí. Veja!

Barragens secas, perdas na produção agrícola e o homem do campo sofrendo com a estiagem. Esse é o retrato do município de Belém do Piauí, situado na região Semiárida, distante

Paulistana 0 Comments

Reforma da Previdência pode ser o fim da aposentadoria rural, afirmam agricultores de Paulistana, em reportagem do UOL

Antes de se aposentar, o agricultor Espedito Eusébio de Souza, 73 anos, percorria a pé 60 quilômetros do interior do Piauí até a divisa de Pernambuco em busca de “uma