Com reforma da Previdência, governo estima 8 milhões de empregos a mais em quatro anos
Publicado por: Francieldo Araújo | Data: 22/02/19

Com reforma da Previdência, governo estima 8 milhões de empregos a mais em quatro anos

Com a aprovação da reforma da Previdência Social, cuja proposta foi encaminhada nesta semana pela equipe econômica do governo ao Legislativo, o Brasil deverá ter oito milhões de empregos a mais em quatro anos, entre 2020 e 2023. A estimativa consta em estudo da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, divulgado nesta sexta-feira (22).

Segundo o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, sem a reforma, o rombo previdenciário, que somou R$ 290,2 bilhões em 2018 e bateu recorde, continuará avançando e gerando déficits nas contas públicas.

“Estamos sempre comparando em relação ao cenário sem reforma. Sem reforma, vai estar perdendo empregos. No fundo, você olha a diferença daqui a 5 anos com reforma e sem reforma”, explicou o secretário em entrevista ao G1.

Sachsida afirma, ainda, que na ausência de mudanças das regras previdenciárias, o estrago seria “muito grande”. No ano passado, as contas do governo apresentaram o quinto ano de resultado negativo – com um rombo de R$ 120 bilhões.

Com a aprovação da reforma, a previsão do governo é de que as contas públicas voltem ao azul (superávits primários, ou seja, sem contar as despesas com juros) em 2022. Sem a reforma, as contas continuaram deficitárias, com o rombo atingindo 1,1% do PIB em 2022.

“Como vai ser financiado [o déficit]? Com mais e mais dívida pública. Quanto maior for a dívida pública, as taxas de juros começam a subir também. [A economia] entra em um circulo vicioso. Aumenta a dívida publica, aumentam os juros, o investimento cai, o consumo, o PIB cai, o emprego cai. Temos uma situação muito delicada se não aprovarmos a reforma previdenciária”, disse Sachsida.

Nas projeções da Secretaria de Política Econômica, o Brasil entraria novamente em recessão no fim do ano que vem sem a aprovação da reforma da Previdência. A recessão, que foi registrada na economia brasileira em 2015 e 2016, se caracteriza por dois trimestres consecutivos de queda do Produto Interno Bruto (PIB).

“Se não aprovarmos a reforma da Previdência, rapidamente a dívida pública vai dar um pulo e vamos ter de aumentar os juros também. Esse aumento de juros, o efeito dele sobre o PIB é muito rápido. E já no segundo semestre de 2020, nós vamos voltar a um cenário recessivo. Sem a reforma da previdência, vamos ter problema daqui a um ano já”, declarou o secretário.

A previsão do Ministério da Economia é de que, sem mudanças nas regras previdenciárias, a taxa básica de juros da economia fixada pelo Banco Central, atualmente em 6,5% ao ano, avançaria para 11,4% ao ano até o fim deste ano – atingindo 13,4% ao ano em 2020, 15,1% em 2021 e chegando a até 18,5% ao ano em 2023. “Na hora em que você não aprova [a reforma], [o juro] sobe rápido”, disse Sachsida.

O governo também estimou que a aprovação da reforma também teria um impacto sobre a renda do trabalhador brasileiro. A expectativa é de que, na ausência de mudanças, cada brasileiro teria, em 2023, uma perda em sua renda anual de R$ 5,8 mil em relação ao cenário com reforma.

De acordo com o secretário, essa é a divisão dos recursos que estariam a mais na economia, divididos pelo número de habitantes. É o impacto no chamado “PIB per capita”. “A reforma favorece os mais pobres. É mais dinheiro para as famílias mais pobres”, acrescentou.

Fonte: G1


ACOMPANHE O PORTAL NAS REDES SOCIAIS:
@cidadesnanet
Facebook.com/cidadesnanetoficial

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

NOTÍCIA DESTAQUE

Polícia prepara operação para prender fraudadores de concursos no PI

A Polícia Civil do Piauí está prestes a deflagrar novas operações para prender envolvidos em fraudes de novos concursos públicos realizado no Estado, segundo revelação de fonte altamente credenciada que

NOTÍCIA DESTAQUE

Presidente do TRT manda reintegrar demitidos da Cepisa-Equatorial

A desembargadora Liana Chaib, presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região, deferiu pedido feito pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado do Piauí – SINTEPI, e

NOTÍCIA DESTAQUE

Primeiro dia de operação da PRF registra duas mortes na BR-343

O primeiro dia da operação da Polícia Rodoviária Federal no feriadão do Dia de Nossa Senhora Aparecida registrou duas mortes na BR-343. Os acidentes aconteceram nessa quarta-feira (11) em Parnaíba