Após denúncia, OAB-PI alerta que presídios podem ficar sem comida
Publicado por: Danilo Bezerra | Data: 22/10/14

Após denúncia, OAB-PI alerta que presídios podem ficar sem comida

Após denúncia feita pelo Sindicado dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi) de que os alimentos dos presos de penitenciária do estado estão sendo servidos em sacos plásticos, a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), informou que a situação é muito mais complicada e que no próximo mês pode chegar a não ter comida para os detentos. A Secretaria Estadual de Justiça confirma que há dificuldade financeira e que caso não haja repasse de recursos poderá faltar alimentos.

Em vídeo divulgado pelo Sinpoljuspi é possível ver um servidor colocando arroz em sacos plásticos. Além da falta de vasilhas para servir a alimentação, também não há talheres e os presos são obrigados a comer com as mãos. O alimento é manipulado sem qualquer tipo de higiene e estava sendo preparado para distribuir para detentos da Penitenciária Mista Juiz Fontes Ibiapina, em Parnaíba.

Segundo Vilobaldo Carvalho, presidente do Sinpoljuspi, o fato já aconteceu em outras penitenciárias do estado. “Isso já aconteceu na Major Cesar, e recebi informações que na Irmão Guido os agentes tem que recolher as vasilhas para colocar comida e fazer nova distribuição porque não tem vasilha suficiente para todo mundo e isso complica o trabalho dos agentes”, disse.

A Comissão de Direitos Humanos da OAB recebeu esta semana a informação de que pode faltar alimentos para o próximo mês.

“A notícia que nós temos é que está inclusive prestes a faltar alimentos e isso nos preocupa. A penitenciária de Parnaíba era um mercado que virou penitenciária, inclusive o Sinpoljuspi já encontrou em contato com a OAB para que seja feita a interdição para a construção de uma penitenciária feminina e masculina, que não se existe mais esse modelo. A informação dos alimentos não é a primeira vez, já tivemos a informação de que aconteceu na Major Cesar”, falou Lúcio Tadeu, da comissão de Direitos Humanos da OAB.

O diretor de presídios do Estado, Wellington Rodrigues, confirmou que a Secretaria de Justiça está enfrentando problemas financeiros e confirma que se o governo do estado do não repassar recursos pode comprometer o envio de alimentos para os presídios. “Se a Secretaria de Fazenda só apresentar o contábil e deixar de repassar a parte financeira, logicamente a nossa secretaria não vai ter como cumprir os compromissos que foram feitos e as consequências serão falta de alimento, falta de equipamentos e falta de combustível. A situação de Parnaíba é uma situação atípica, pois eles têm o costume de levar comida na parte noturna e deixa para recolher no dia seguinte e quando retornam não é feito uma conferência e termina não voltando todas”, explicou.

G1

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

MUNICÍPIOS

Ano termina com 164 municípios do Piauí em situação de emergência

Decreto assinado pelo governador do Piauí, Wellington Dias (PT), declara situação de emergência em 164 dos 224 municípios do Piauí – o que corresponde a 73% do total de cidades

Empresas investiram R$ 27 milhões no Piauí em 2015

O Conselho de Desenvolvimento Industrial do Piauí (Codin), vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Sedet), apresentou o relatório que contém a lista de empresas que foram