Banco de perfil genético tem mais de 17 mil presos cadastrados
Publicado por: Josely Carvalho | Data: 12/06/19

Banco de perfil genético tem mais de 17 mil presos cadastrados

O Banco Nacional de Perfis Genéticos já conta com 17.361 perfis de condenados cadastrados, um crescimento de 165% em relação ao último relatório, de novembro de 2018. Os dados são do relatório semestral da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos, publicado ontem (11).

De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, os números revelam o comprometimento e a força tarefa dos estados em coletar e inserir no banco o material biológico dos condenados. A meta do ministério é alcançar 65 mil cadastros até o final do ano.

Os dados do banco genético auxiliam peritos nas investigações criminais, em nível nacional e estadual. O relatório revela que em 825 investigações os dados foram utilizados, incluindo crimes contra a vida, crimes sexuais e crime organizado, e que foram processados mais de nove mil vestígios de local de crime no Banco Nacional de Perfis Genéticos.

Cada laboratório pertencente à Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos foi responsável por coletar amostras de DNA dos condenados nas penitenciárias, analisar os perfis genéticos oriundos em locais de crimes, processar as informações e incluir em seus respectivos bancos de dados. Os materiais foram enviados ao banco nacional e são confrontados para busca de coincidências e relação de suspeitos em locais de crime.

Para alcançar a meta de 65 mil cadastros, a Secretaria Nacional de Segurança Pública investiu R$ 9 milhões para aquisição de kits de coletas de amostras biológicas, reagentes, picotadores semiautomáticos e analisadores genéticos.

A Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos foi criada com objetivo de manter, compartilhar e comparar perfis genéticos para ajudar na apuração criminal e no processo de investigação. Atualmente, 18 laboratórios estaduais, o do Distrito Federal e o laboratório da Polícia Federal fazem parte da rede.

A obrigatoriedade da identificação do perfil genético de condenados por crime doloso, praticado com violência de natureza grave contra pessoa, está prevista desde 2012. A estimativa do comitê gestor e secretaria executiva da rede é que existam 137,6 mil condenados nessas condições e que deveriam ser identificados pelo perfil genético.

Fonte: Agência Brasil


ACOMPANHE O PORTAL NAS REDES SOCIAIS:
@cidadesnanet
Facebook.com/cidadesnanetoficial

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

GERAL

Após denúncia, OAB-PI alerta que presídios podem ficar sem comida

Após denúncia feita pelo Sindicado dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi) de que os alimentos dos presos de penitenciária do estado estão sendo servidos em sacos plásticos, a Comissão de

GERAL

Eletrobras Piauí firma TAC sobre suspensão de energia elétrica

A Eletrobras Distribuição Piauí, por meio do seu representante Alex Silva Pereira, firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) perante o Ministério Público do Estado do Piauí, por meio

Picos

MPT desenvolverá projeto de combate ao Trabalho Infantil na região de Picos

O Ministério Público do Trabalho implantará no município de Picos, o Projeto “Políticas Públicas de Combate ao Trabalho Infantil”. O projeto de caráter nacional tem por objetivo fortalecer a rede