Piauí registra fechamento de 9 mil postos de trabalho nos últimos 12 meses
Publicado por: Odaliana Carvalho Veloso | Data: 23/04/16
Comments 0

Piauí registra fechamento de 9 mil postos de trabalho nos últimos 12 meses

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira (22) pelo Ministério do Trabalho, mostram que o Piauí perdeu nos últimos 12 meses 9.371 postos de trabalho. Isso equivale a um declínio de 3,10% no nível de emprego.

Só nos três primeiros meses deste ano, foram 6.762 postos  de trabalho fechados no Piauí, o que equivale a -2,25% vagas ofertadas.

Já março de 2016 encerrou com 1.137 empregos celetistas fechados. O que corresponde a uma retração de 0,39% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior.

Segundo o Caged, o resultado foi proveniente do desempenho negativo principalmente dos setores do Comércio (-443 postos) e da Construção Civil (-230 postos), os dois de maior peso no Piauí.

O setor de serviços também está entre os que mais demitiu no Estado com -171 postos de trabalho, além dos serviços industriais de utilidade pública, -191 vagas.

Brasil

Em todo o país, o Caged aponta queda em março de 118.776 empregos com carteira assinada. O saldo é resultado de 1.374.485 admissões e 1.493.261 desligamentos. Os dados equivalem a uma variação negativa de 0,30% no estoque de empregos, comparada ao mês anterior. Com essa variação, o estoque atingiu 39.373.900 postos de trabalho em março.

Segundo os números divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social, em quatro estados, o saldo foi positivo no mês. No Rio Grande do Sul houve a criação de 4.803 postos, uma variação de +0,18%, devido à Indústria da Borracha e Fumo e Couros (+4.243 ou +8,96%) e Calçados (+1.753 ou +1,75%). Goiás teve saldo positivo de 3.331 postos ou +0,28%, em razão da Agropecuária (+1.608 ou +1,70%) e Indústria Química (+1.381 ou +2,82%). Em Roraima a geração de 200 vagas (+0,43%) foi puxada pelo bom desempenho do Comércio Atacadista (+167 ou +5,79%). Mato Grosso do Sul houve a criação de 187 postos de trabalho (+0,04) em função da expansão do setor de Serviços (+787 ou +0,42%). Os estados de São Paulo (-32.616 ou -0,27%), Rio de Janeiro (-13.741 ou -0,37%) e Pernambuco (-11.383 ou -0,88%) apresentaram as maiores quedas no mês.

No recorte regional, as maiores reduções foram registradas no Sudeste (-58.004 ou -0,28%) e Nordeste (-46.269 ou -0,71%). No conjunto das nove áreas metropolitanas, a retração alcançou 0,38% na geração de vagas formais (-59.666 postos), com destaque para São Paulo (-25.884 postos ou -0,40%) e Belo Horizonte (-8.265 postos ou -0,57%).

Hérlon Moraes\cidade verde (Com informações do Ministério do Trabalho)

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

GERAL

2.400 aprovados no SISU têm matriculas na UFPI ameaçadas

Seguindo uma determinação da Fasubra (Federação dos Técnicos Administrativos das Universidades Brasileiras), os servidores da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), deixarão de fazer as matrículas nos dias 19, 22 e

Piauí é o estado que menos desemprega no nordeste

Apesar do cenário recessivo na economia, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) no mês de abril de 2016, o Piauí se destacou

Caminhão ‘tomba’ em ponte e duas pessoas ficam gravemente feridas

Uma ambulância da secretaria de saúde de Batalha e uma outra do Exercito Brasileiro foram utilizadas para conduzir os feridos em um grave acidente ocorrido na manhã deste domingo (18/12),