PICOS | Corpo de Bombeiros alerta para riscos de afogamentos em período de férias
Publicado por: Francieldo Araújo | Data: 04/01/19

PICOS | Corpo de Bombeiros alerta para riscos de afogamentos em período de férias

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o afogamento aparece como uma das principais causas de mortes no Brasil. Atualmente, o número de óbitos por aqui supera os 6.500 casos ao ano. As crianças são as principais vítimas, sendo considerada a segunda causa de morte entre os pequenos de um a nove anos de idade.

Neste período de férias, segundo o tenente do Corpo de Bombeiros de Picos, Allisson Rangel, o número de vítimas de afogamentos é ainda maior. Ele dá orientações sobre os cuidados a serem tomados.

“Em relação a esses períodos, a população gosta de se divertir banhando, e temos orientações diferentes relacionadas a adultos e a crianças. Em relação a adultos, a principal orientação é questão da ingestão da bebida alcoólica, evitar beber e banhar, é uma relação que não dá certo, pela questão da coordenação motora da pessoa. Em relação a crianças, é que quando uma criança for banhar, ela tem que estar sob supervisão 100% de um adulto, ou seja, essa criança não pode ir banhar e o adulto ficar olhando de longe, que é o que costuma acontecer”, aconselhou.

O tenente orientou ainda aos pais a colocarem algum equipamento de flutuação em crianças quando estas forem adentrar na água.

Fonte: Climatempo

Afogamentos

De acordo com dados do Corpo de Bombeiros, em 2018, a corporação de Picos atendeu duas ocorrências de afogamento, uma em Massapê do Piauí e outra em Caldeirão Grande, ambas com óbitos.

O tenente Rangel fala que militares lotados do batalhão de Picos não são especializados em mergulho e quando acontece algum afogamento, é necessário solicitar reforço de Teresina.

“A gente trabalha a prevenção, porque, diferente do que se mostra em filmes e séries, o afogamento é rápido e silencioso, é uma coisa que precisa da prevenção da pessoa, precisa dessa orientação aos banhistas. O nosso trabalho é muito maior na questão da prevenção, do que na própria ação na ocorrência”, reiterou.

Para os que presenciam afogamentos, o bombeiro explica que os acompanhantes nunca devem se arriscar para salvar uma vítima se não tiverem habilitação, e não devem ter contato físico direto com as mesmas. O mais certo a se fazer é, imediatamente, acionar o 193 e, depois, jogar algo em que a pessoa possa se segurar.

 

 

 

Fonte: Grande Picos

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

Morte de primeira-dama faz um ano e juiz autoriza quebra de sigilo telefônico

Após um ano, familiares ainda tentam conviver com a ausência da primeira-dama de Lagoa do Sítio, Gercineide Monteiro, assassinada com um tiro na cabeça dentro da própria casa, no dia

GERAL

Piauí está com apenas 33% da capacidade hídrica, diz Dnocs

Com apenas 679.746 metros cúbicos de água, o Piauí passa por um momento complicado com relação à sua capacidade hídrica. Segundo informações do Departamento Nacional de Obras Contra Secas (Dnocs),

GERAL

Carteira de habilitação deve ficar até 70% mais cara em 2018

O valor do processo para se tornar um motorista habilitado no Piauí pode ficar até 70% mais caro em 2018. Isso por que uma determinação do Departamento Nacional de Trânsito