Assis contraria Wellington Dias e afirma que vai votar contra reforma
Publicado por: | Data: 13/06/19

Assis contraria Wellington Dias e afirma que vai votar contra reforma

O governador Wellington Dias (PT-PI) vai reunir a bancada federal do Piauí em Brasília para pedir apoio em favor da Reforma da Previdência. Mas ao que tudo indica, pelo menos um de seus aliados, não pretende ‘obedecer’ a esse pedido, isso porque, o deputado federal e presidente do PT piauiense, Assis Carvalho afirmou ao GP1 nesta quarta-feira (12), que vai seguir a orientação da bancada nacional petista que é contrária a reforma.

“Quando retornar às atividades, pois estou afastado por problemas de saúde, seguirei orientação da bancada do PT. Voto contra a reforma”, garantiu o parlamentar federal.

Wellington Dias passou a defender a aprovação da Reforma da Previdência após encontro dos governadores do Nordeste onde foi firmado entendimento para votar favorável à proposta. Mas se Assis mantiver essa postura, o governador do Piauí terá um voto a menos.

“Não trabalho com hipóteses. O governador não tratou comigo e não me pauto por mídia”, reforçou Assis Carvalho.

Fonte: GP1


ACOMPANHE O PORTAL NAS REDES SOCIAIS:
@cidadesnanet
Facebook.com/cidadesnanetoficial

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

POLÍTICA

Dilma deve se descolar da imagem de Lula no 2º mandato, avaliam aliados

Afilhada política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma Vana Rousseff, 67 anos, tende agora – reeleita – a se descolar do padrinho, segundo avaliação de dois

Manifestantes fazem protesto contra governo Temer no Centro do Rio

Manifestantes fizeram um ato contra o presidente em exercício Michel Temer, neste domingo (22), no Centro do Rio de Janeiro. O protesto foi marcado para a data porque Temer participaria

POLÍTICA

Guedes diz que reforma da Previdência deve ser aprovada em até 90 dias

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na quinta-feira (23), que a reforma da Previdência deverá ser aprovada dentro de 60 a 90 dias, pelo Congresso Nacional. O ministro ressaltou