Bolsonaro promete 13º para beneficiários do Bolsa Família
Publicado por: Francieldo Araújo | Data: 11/10/18

Bolsonaro promete 13º para beneficiários do Bolsa Família

Em um vídeo ao vivo no Facebook publicado no início da noite dessa quarta-feira (10), o candidato Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que não irá acabar com o 13º salário e prolongará o benefício para quem recebe Bolsa Família.

“O meu vice, o general Mourão, levou uma proposta ao Paulo Guedes, que é o homem da economia. Ele propôs levar o 13º para quem ganha o Bolsa Família”.

De acordo com o candidato, o dinheiro extra para pagar o benefício virá com o fim da “roubalheira” do Bolsa Família. “Combatendo a corrupção e a roubalheira no Bolsa Família sobra dinheiro para pagar quem precisa”, afirmou ao lado do empresário Luciano Hang, dono da Havan.

Em setembro, o candidato à vice-presidência do PSL disse que o 13º salário é uma “jabuticaba brasileira”, uma “mochila nas costas dos empresários” e “uma visão social com o chapéu dos outros”.

A fala de Mourão foi desmentida por Jair Bolsonaro, que disse que “vice geralmente não apita nada, mas atrapalha muito”.

Sobre o programa social, Bolsonaro criticou o PT e acusou o partido de ter transformado o Bolsa Família em currais eleitorais.

Fonte: Folha de S.Paulo

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

POLÍTICA 0 Comments

Marcelo Odebrecht diz que Lula recebeu propina em dinheiro vivo

Reportagem da revista Isto É que será publicada neste sábado aponta que, em delação premiada na Operação Lava Jato, o presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, afirmou que o ex-presidente Luís Inácio Lula da

POLÍTICA

“Quem vai tirar Temer do Jaburu sou eu”, afirma Manuela D’Ávila

“Quem vai tirar Temer do Jaburu sou eu”, afirmou nesta terça-feira (7) a deputada estadual pelo Rio Grande do Sul Manuela D’Ávila (PCdoB). “A unidade é a única forma de vencermos a eleição,

POLÍTICA 0 Comments

Pré-candidatos ignoram papel do Facebook na eleição

Os custos de campanha das eleições municipais de 2016 serão consideravelmente mais baratas devido a proibição do financiamento privado que já foi definida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nas cidades