Jair Bolsonaro é diplomado Presidente da República pelo TSE
Publicado por: Francieldo Araújo | Data: 10/12/18

Jair Bolsonaro é diplomado Presidente da República pelo TSE

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (10/12) que o poder popular “não precisa mais de intermediação”. Bolsonaro deu a declaração após ser diplomado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No discurso, também elogiou a Justiça Eleitoral e disse que governará para todos.

“O poder popular não precisa mais de intermediação. As novas tecnologias permitiram uma relação direta entre o eleitor e seus representantes”, afirmou.

Durante o discurso, Bolsonaro agradeceu os mais de 57 milhões de votos recebidos no segundo turno das eleições e pediu a “confiança” dos eleitores que optaram por outros candidatos.

 (Crédito: Reprodução/NBR )
(Crédito: Reprodução/NBR )

“Agradeço aos mais de 57 milhões de brasileiros que me honraram com o seu voto. Aos que não me apoiaram peço a confiança para construirmos juntos um futuro melhor para o nosso país”, disse. Bolsonaro afirmou que governará “em benefício de todos” durante o mandato, sem distinção.

“A partir de 1º de janeiro serei o presidente de todos, dos 210 milhões de brasileiros. Governarei em benefício de todos sem distinção de origem social, raça, sexo, cor, idade, ou religião”, declarou o presidente eleito.

Bolsonaro ressaltou que o Brasil é “uma das maiores democracias do mundo”. Segundo ele, os brasileiros votaram de forma “pacífica e ordeira” e expressão o desejo por mudanças.

 (Crédito: Evaristo Sá/AFP )
(Crédito: Evaristo Sá/AFP )

O presidente eleito disse que país deve se orgulhar pela eleição e que seu compromisso com a “soberania do voto popular é inquebrantável”.

“Nós brasileiros devemos nos orgulhar dessa conquista. Em um momento de profundas incertezas em várias partes do globo somos um exemplo de que a transformação pelo voto popular é possível”, afirmou.

Justiça Eleitoral

Em outro trecho do discurso, Bolsonaro elogiou a atuação do Tribunal Superior Eleitoral na campanha eleitoral e disse que a vitória dele nas urnas se trata do “reconhecimento” de que o povo escolheu seus governantes “em eleições livres e justas”.

Ao longo da campanha, entretanto, o presidente eleito questionou mais de uma vez a credibilidade das urnas eletrônicas e chegou a dizer que só reconheceria o resultado da eleição se ele fosse o vencedor da corrida presidencial.

Em uma transmissão pelas redes sociais durante o processo eleitoral, ele falou até mesmo em “fraude” nas eleições.

Presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), discursa após ser diplomado no TSE  (Crédito: Divulgação)
Presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), discursa após ser diplomado no TSE (Crédito: Divulgação)

Diplomação

A entrega do diploma oficializou o resultado das urnas, é o último passo do processo eleitoral e condição formal para a posse, marcada para 1º de janeiro.

A chapa de Bolsonaro recebeu 57,7 milhões de votos na eleição deste ano, derrotando no segundo turno a chapa de Fernando Haddad (PT).

A solenidade desta segunda-feira no plenário do TSE, em Brasília, reuniu parentes de Bolsonaro, autoridades e futuros ministros do governo. Os mandatos de Bolsonaro e de Mourão vão até 31 de dezembro de 2022.

No último dia 4, o TSE aprovou com ressalvas as contas da campanha de Bolsonaro. O julgamento era necessário para a diplomação da chapa. Conforme a prestação, entregue pelos advogados da chapa, a campanha arrecadou R$ 4,3 milhões e gastou R$ 2,8 milhões.

Relator das contas da campanha, o ministro Luís Roberto Barrosoafirmou que, segundo a área técnica do tribunal, grande parte das “inconsistências” na prestação de contas foi sanada após a defesa de Bolsonaro retificar a prestação.

 (Crédito: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)
(Crédito: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)
 (Crédito: Rafael Carvalho/Divulgação)

 

 

 

Fonte: Com informações do G1

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

POLÍTICA 0 Comments

Georgiano Neto é convidado para dirigir juventude do PSD Nacional

O convite foi formalizado pela direção nacional do PSD. Em julho o partido realizará congresso que aprovará plataforma de ações para a juventude e escolherá o presidente nacional do segmento

POLÍTICA

Na ONU, Dilma diz que Brasil não tem ‘problemas estruturais graves’

Em seu discurso na sessão de abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), a presidente Dilma Rousseff (PT) admitiu aos líderes mundiais que o Brasil passa, atualmente,

POLÍTICA

Flora Izabel diz que PT lutará contra “cultura de ódio” no Brasil

A deputada Flora Izabel (PT) afirmou nesta terça-feira (30) que Fernando Haddad (PT) teria condição de vencer a eleição se tivesse mais um dia da campanha. Ela destacou que o