Pelo menos quatro ministros deixam seus cargos à disposição de Dilma
Publicado por: Danilo Bezerra | Data: 13/11/14

Pelo menos quatro ministros deixam seus cargos à disposição de Dilma

Pelo menos quatro ministros – Aloizio Mercadante (Casa Civil), Mauro Borges (Desenvolvimento e Comércio Exterior), Manoel Dias (Trabalho) e Marcelo Néri (Assuntos Estratégicos) – anunciaram nesta quarta-feira (12) que colocaram os cargos à disposição da presidente Dilma Rousseff.

Embora colocando os cargos à disposição, esses ministros devem permanecer nos postos até o final do atual mandato da presidente. A atitude deles é diferente da de Marta Suplicy (Cultura), que nesta terça entregou carta de demissão e deixou o cargo – o ministério passou a ser conduzido interinamente pela secretária-executiva Ana Cristina Wanzeler.

O movimento para que os ministros coloquem os cargos à disposição foi articulado pelo ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante. A intenção é deixar a presidente à vontade para dar início à reforma ministerial depois que ela voltar da Austrália, onde participa nesta semana da reunião do G20 (as 20 maiores economias do mundo).

Nesta quarta-feira (12), a presidente comentou o assunto no Catar, onde fez escala antes de seguir para a Austrália. Ela afirmou que todos os ministros deverão entregar uma carta a ela – os que vão sair e os que não vão. “Não estabeleci nenhum prazo. Não vou fazer a reforma imediatamente”, declarou.

Dentre os que anunciaram que colocaram os cargos à disposição, Mauro Borges entregou carta nesta terça-feira (11). Segundo informaram as assessorias dos ministérios, Aloizio Mercadante e Manoel Dias entregarão no dia 18 e Marcelo Néri ainda não definiu a data.

As assessorias dos ministros Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência), Ricardo Berzoini (Relações Institucionais), Miguel Rossetto (Desenvolvimento Agrário) e Paulo Bernardo (Comunicações) informaram que eles não entregarão cartas colocando o cargo à disposição. Com isso, a menos que sejam demitidos, permanecem nos cargos até 31 de dezembro, um dia antes da posse da presidente para o segundo mandato.

Nos casos de outros dois ministros – José Elito Siqueira (Gabinete de Segurança Institucional) e Néri Geller (Agricultura) –, não há previsão de quando vão se manifestar. Elito está em férias até dia 20 e Geller está em missão oficial na China até dia 18. O Ministério do Planejamento informou que a ministra Miriam Belchior não se manifestará sobre o assunto.

Guido Mantega (Fazenda) acompanha a presidente no encontro do G20, mas Dilma já havia anunciado durante a campanha eleitoral que ele não permanecerá.

Fonte: G1

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

POLÍTICA

Mainha deve assumir mandato de deputado federal no final de abril

O suplente de deputado federal José Maia Filho, o Mainha, deve assumir mandato na Câmara Federal em abril. “O deputado Merlong deve passar um mês em Brasilia. Ele tomou posse

POLÍTICA

Bolsonaro diz que deve indicar novo PGR até a próxima segunda-feira

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (7) que deve indicar o novo procurador-geral da República “no máximo” até a próxima segunda-feira (12). O presidente conversou com jornalistas na portaria

POLÍTICA 0 Comments

Deputado piauiense é afastado por suspeita de corrupção

A Justiça determinou o afastamento de cinco deputados distritais da Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal sob suspeita de desvio de recursos públicos. A decisão atingiu a presidente