Prefeito encaminha projeto que reajusta salário dos servidores em Curral Novo do PI
Publicado por: Danilo Bezerra | Data: 26/02/16
Comments 0

Prefeito encaminha projeto que reajusta salário dos servidores em Curral Novo do PI

O prefeito do município de Curral Novo do Piauí, Leônidas Lopes de Lima, enviou à Câmara Municipal o Projeto de Lei que reajusta o salário mínimo e o piso salarial do magistério no município.

De acordo com o Projeto, no seu Artigo 1º, será concedido reajuste de 11,6% para os servidores municipais que recebem o salário mínimo, adequando-se, assim, ao valor do mínimo nacional imposto pelo Governo Federal, no valor de R$ 880.

No Artigo 2º, o chefe do Executivo Municipal propôs o reajuste do Piso Salarial Nacional do Magistério Público, aplicando sobre o valor atualmente pago o percentual de 11,36%. Com o reajuste, o professor da Rede Municipal de Ensino com carga horária de 20 horas semanais terá como piso R$ 1.067,82, e para quem leciona 40 com horas por semana, receberá R$ 2.135,64.

Tendo em vista que as correções salariais previstas no Projeto de Lei tem efeito retroativo ao mês de janeiro deste ano, o prefeito solicitou a tramitação da matéria em regime de urgência.

Para entrar em vigor, o Projeto depende de aprovação da Câmara.

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

POLÍTICA

Após disputa, Dr. Pessoa marca data para entregar gabinete

s deputados de primeiro mandato aos poucos vão assumindo os gabinetes, que pertenciam aos parlamentares que deixam a Assembleia Legislativa do Estado. Mas um caso precisou da interferência do presidente

POLÍTICA

Pré-candidato a deputado estadual pelo PPS é condenado por improbidade administrativa

A pedido do Ministério Público Federal (MPF) no Piauí, a 3ª Vara da Justiça Federal condenou o ex-reitor do Centro de Educação Tecnológica do Piauí – Cefet/PI (atual IFPI) e pré-candidato a deputado

POLÍTICA

Regina Sousa acredita que reforma trabalhista terá dificuldades de aprovação no Senado

Opositora ferrenha da reforma trabalhista, a senadora Regina Sousa (PT)  foi enfática ao se referir ao projeto de lei como uma ‘autorização para a volta do trabalho escravo no Brasil’.