PT cobra que TSE investigue ação de empresas nas redes sociais
Publicado por: Francieldo Araújo | Data: 18/10/18

PT cobra que TSE investigue ação de empresas nas redes sociais

Reagindo à manchete da edição desta quinta-feira, 18, do jornal Folha de S.Paulo, que revela empresas bancando o disparo de mensagens contra o PT pelas redes sociais, o partido emitiu uma nota cobrando um posicionamento da Justiça Eleitoral. Para a legenda, a prática configura crime de caixa dois por parte da campanha de Jair Bolsonaro (PSL).

“É uma ação coordenada para influir no processo eleitoral, que não pode ser ignorada pela Justiça Eleitoral nem ficar impune”, diz a nota assinada pela Executiva do PT, que pediu na Quarta-feira (17) à Polícia Federal uma investigação sobre a disseminação de supostas notícias falsas pela campanha de Bolsonaro.

O partido diz que está tomando todas as medidas judiciais para que Bolsonaro responda “por seus crimes, dentre eles o uso de caixa 2, pois os gastos milionários com a indústria de mentiras não são declarados por sua campanha.”

A legenda do presidenciável Fernando Haddad pretende entrar ainda nesta quinta-feira com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para pedir providências.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

POLÍTICA

Rodrigo confirma pré-candidatura à PMT, mas PSB protela saída da base

Em entrevista ao O Olho, o deputado federal Rodrigo Martins (PSB) confirmou ser pré-candidato à Prefeitura de Teresina na eleição municipal de outubro. O anuncio oficial deverá ocorrer depois de

POLÍTICA

Irmã do senador Aécio Neves é presa pela Polícia Federal

A irmã e assessora do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Andréa Neves, foi presa por agentes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal na manhã desta quinta-feira (18) em Nova

Legislativo em Foco

MASSAPÊ | Projeto com diretrizes para elaboração do Orçamento é apresentado na Câmara

A Câmara Municipal de Massapê do Piauí realizou sessão ordinária na noite da última quarta-feira, 29, no plenário Olavo José da Silva. Os trabalhos foram presididos pelo vereador Rafael Silva