Complexo Caldeirão Grande inicia geração de energia no Piauí com capacidade de 180 a 190 megawatts
Publicado por: Josely Carvalho | Data: 28/09/17

Complexo Caldeirão Grande inicia geração de energia no Piauí com capacidade de 180 a 190 megawatts

Em audiência na Superintendência de Representação do Estado do Piauí em Brasília (Surpi), o governador Wellington Dias recebeu o diretor-presidente da Queiroz Galvão Energia, Roberto Mário Di Nardo. Na ocasião, a empresa comunicou ao Poder Executivo piauiense a conclusão do Complexo Eólico Caldeirão Grande I, localizado no município que lhe dá nome. Com 70 torres eólicas em pleno funcionamento, o complexo possui capacidade de 180 a 190 megawatts de energia, que vêm sendo injetados no sistema desde a semana passada.

Para a implantação da Caldeirão Grande I, foram investidos cerca de R$ 1,2 bilhões. A audiência marcou ainda o acordo de um novo investimento, que vai ampliar a capacidade do complexo. “A Queiroz Galvão Energia agora nos traz mais uma informação que é a outra etapa, ou seja, um novo investimento com cerca de 96 torres com aproximadamente R$ 1 bilhão. Estamos juntos trabalhando para poder garantir as condições desse novo investimento”, informou Wellington.

Na segunda etapa do complexo, a empresa já investiu cerca de R$ 300 milhões no estado. Roberto Mário Di Nardo agradeceu o apoio do governo piauiense e destacou as vantagens competitivas da região. “Hoje o Piauí é o estado que tem maior capacidade de escoamento, uma coisa que falta circunstancialmente no Brasil, de maneira sistêmica em particular na região nordeste. Hoje o Piauí é uma exceção”, afirmou o diretor.

Segundo Di Nardo, o Piauí tem considerável potencialidade de escoamento de energia por meio da subestação de maior capacidade de escoamento do Brasil , a Curral Novo do Piauí 2. A subestação tem hoje uma capacidade de escoamento de 1,2 mil megawatts que pode chegar até 3,4 mil [megawatts], o que, de acordo com o empresário, “permitirá a materialização muito rápida de todo o potencial eólico e também solar porque essa é a segunda vantagem competitiva do Piauí”.

Energia do sol e dos ventos

Outro fator que lança o Piauí como um grande ponto de investimento para energias renováveis é a conjugação entre a energia eólica e a energia solar. “É possível colocar mais energia no sistema sem ter que incrementar nem a transformação nem a transmissão. Ou seja, otimizando o capex de investimento e nesse momento de pouca disponibilidade de transmissão no nordeste como um todo você poder fazer isso sem ter que fazer grandes obras de transmissão, isso é uma vantagem competitiva enorme para o estado do Piauí”, revelou o Di Nardo, da Queiroz Galvão Energia.

Visita
O governador já adiantou visita à instalações do complexo eólico. “Estamos combinando uma data para irmos a Caldeirão Grande para comemorar esse importante momento do Piauí nesta região”, disse Wellington Dias.

Fonte: Cidade Verde

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

DESTAQUES

Regularização de imóveis de conjuntos está suspensa no PI

A reforma administrativa, realizada pelo governo do Estado no mês de maio, também provocou mudanças na vida dos mutuários de mais de 70 mil imóveis de conjuntos habitacionais construídos pela

DESTAQUES

ExpoCaboclos reúne participantes de todo o Nordeste e movimenta economia em Caldeirão Grande do Piauí

Considerada uma das maiores feiras de ovinos e caprinos do interior do Piauí, teve início nesta quinta-feira (16) a 9° edição da ExpoCaboclos, que está sendo realizada na Fazenda Algaroba,

Jaicós

Em 4 meses, SAMU de Jaicós já atendeu 72 ocorrências; 13 mortes foram registradas

O Serviço Móvel de Urgência (SAMU), do município de Jaicós, que está em funcionamento há 4 meses, já atendeu a 72 ocorrências, nas quais foram registradas 13 mortes, segundo informações