Piauí tem o segundo maior percentual de analfabetos do Brasil
Publicado por: Josely Carvalho | Data: 22/12/17

Piauí tem o segundo maior percentual de analfabetos do Brasil

Piauí tem o segundo maior percentual de analfabetos acima de 15 anos de idade, de 17,2%, ganhando apenas do estado de Alagoas, que é de 19,4%, e bem acima do percentual do Brasil, que é de 7,2%, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou na quinta-feira, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o IBGE, 17,2% da população piauiense, acima de 15 anos, não consegue escrever um bilhete simples, como “Maria vai ao mercado”. Seguido do Piauí vem o Maranhão (16,7%) e a Paraíba (16,3%). Com menor taxa está o Distrito Federal, onde 2,6% da população é considerada analfabeta. A taxa do Nordeste é também a pior entre as regiões: 14,8%.

No Brasil, 41,8% da população não completou o ensino fundamental. Destes, 11,2% sequer iniciaram os estudos. Os dados também revelam que a população que completou o ensino médio soma apenas 26,3% do total e apenas 15,3% completaram o ensino superior. A PNAD mostra que, em relação ao sexo, os percentuais estão bem próximos. A maior diferença é em relação ao ensino superior: a taxa de mulheres que completam a graduação é 16,9% e a dos homens 13,5%.

Já com relação à cor, os percentuais são bem distantes, principalmente, nos quesitos “sem instrução”, no qual a taxa de analfabetismo dos brancos é de 7,3% e dos pretos ou pardos, 14,7 e “superior completo”, no qual ocorre o inverso: 22,2% dos brancos completou a graduação e o percentual dos pretos e pardos é de 8,8%.

No país, a maior taxa compreende a população de pretos ou pardos, com mais de 60 anos de idade: 30,7%. A menor taxa concentra a população branca, de 15 anos ou mais: 4,2%. A meta do governo federal era chegar a 2016 com uma taxa de analfabetismo de 6,5% no país, mas infelizmente o número não foi cumprido. Em longo prazo, a meta é erradicar o analfabetismo até 2024.

Estado tem uma média de 6,3 anos de estudos

A Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD) Contínua, divulgada pelo IBGE na quinta-feira, revela que no Piauí a população estudou em média 6,3 anos. A maior média de anos de estudos é no Distrito Federal, com 10,1 anos; a menor é em Alagoas: 6,1 anos. No Nordeste, a população do Piauí estuda mais tempo que a dos estados do Maranhão (6,2%) e Alagoas (6,1%)

No Brasil, a população estuda em média 8 anos. No Nordeste, a média é a menor do país: 6,7 anos. A maior média está no Sudeste, onde as pessoas estudam, em média, 8,8 anos. As mulheres (8,2 anos) estudam mais que os homens (7,8 anos). E os brancos (9%), mais que os pretos ou pardos (7,1%).

No Brasil, 24,8 milhões de pessoas de 14 a 29 anos não frequentavam escola e não haviam passado por todo ciclo educacional até a conclusão do ensino superior. Desse grupo, 52,3% eram homens e mais da metade deles declararam não estar estudando por conta do trabalho, além de 24,1% não terem interesse em continuar os estudos. Entre as mulheres, 30,5% não estudavam por conta de trabalho, 26,1% por causa de afazeres domésticos ou do cuidado de pessoas e 14,9% por não terem interesse.

Fonte: Meio Norte

Foto: reprodução

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

DESTAQUES

“Cracolândia” de Picos – viciados, tráfico e sexo explícito

Nos últimos dias a Cracolândia de São Paulo foi tema de discussão nacional, mas essa realidade está mais próxima do que se imagina. Em Picos no bairro Bomba, a Rua

DESTAQUES

Água ultrapassa parede de barragem e causa alagamentos em Valença

As chuvas que caem na região valenciana animam o agricultor, mais também trazem preocupações aos moradores das proximidades da barragem de Mesa Pedra, em Valença do Piauí. As informações são

DESTAQUES

Missa da Santa Cruz reúne multidão de fiéis em Jaicós; Veja fotos !

Movidos pela fé, devoção e amor, centenas de fiéis católicos participaram na manhã desta quinta-feira (03) da tradicional “Missa da Santa Cruz”, que acontece anualmente, no Morro dos Três Irmãos,