Ameaça de fechamento de parque deixa setor turístico do Piauí na incerteza
Publicado por: Odaliana Carvalho Veloso | Data: 27/08/16
Comments 0

Ameaça de fechamento de parque deixa setor turístico do Piauí na incerteza

O fechamento do Parque Nacional da Serra da Capivara não representa perigo apenas para o patrimônio histórico e ambiental da reserva que tem mais de 130 mil hectares. Hotéis, guias turísticos e comércio enfrentam uma onda de incerteza causada pelo futuro indefinido da unidade. Turistas têm ficado relutantes em honrar reservas e agendamento de visitas guiadas.

“Ainda não houve nenhum cancelamento de reserva já feita, até porque essa crise aguda tem pouco tempo. Entretanto, os turistas têm ligado muito e perguntado se ainda é seguro visitar a o parque, se eles conseguirão ter acesso aos sítios. Nosso trabalho no momento é tentar tranquilizar nossos

Protesto ocorreu no Centro de São Raimundo Nonato (Foto: Pedro Santiago/G1)Protesto ocorreu no Centro de São Raimundo
Nonato (Foto: Pedro Santiago/G1)

clientes”, disse Douglas Negreiros Filho, administrador de um hotel e um restaurante no Centro de São Raimundo Nonato. O empresário disse ainda que 50% de sua clientela é de visitantes do parque.

O Parque Nacional da Serra da Capivara conta com mais de 1.200 sítios arqueológicos e uma ampla infraestrutura de visitação. São centenas de quilômetros de trilhas e estradas bem sinalizadas para dezenas de sítios equipados para o recebimento de turistas. A unidade de conservação é o principal motor de desenvolvimento da região.

Centenas de pessoas estão empregadas direta ou indiretamente devido a atividade na serra. Apesar de pequena, São Raimundo Nonato, cidade base para conhecer o parque, conta com universidade que realiza as pesquisas nos fósseis, um museu multimídia de alta tecnologia e até um aeroporto internacional para facilitar a chegada dos turistas.

“Estamos sofrendo por conta da incerteza. São 70 os guias licenciados junto o ICMBIO para fazer visitas guiadas ao parque. Muitos têm outras atividades econômicas porque temem que os turistas parem de vir para cá. A serra não pode fechar, ou então a cidade acaba junto”, disse Eliete Sousa, que vive exclusivamente do turismo.

Quem também se queixa da crise no parque são os mototaxistas Roniglesias dos Santos e Railson Brandão. “Todos na cidade dependem do parque. As corridas diminuíram bastante nos últimos três meses e isso se deve a situação da serra”, disse Roni. “Espero que resolvam logo esse do problema do dinheiro, porque está cada vez mais difícil”, completou Brandão.

G1

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

NOTÍCIA DESTAQUE

Mulher que mora em São Paulo está á procura de mãe e avó que residem em Jaicós

Sandra de Souza, de 34 anos, que reside atualmente em Indaiatuba, São Paulo, está á procura de sua mãe Inácia Maria de Souza e da avó Maria Ana do Socorro

NOTÍCIA DESTAQUE

PICOS | Pe. Walmir Lima diz aguardar aprovação do município no ICMS Ecológico

“Estamos com grande expectativa de que iremos ser aprovados no Selo Ecológico porque trabalhamos bastante para isso”, disse Padre Walmir Lima, prefeito de Picos, sobre “concurso” enfrentado pelo município desde

NOTÍCIA DESTAQUE

Escola fica sem energia por 1h e meia durante realização do Enem no interior do Piauí

Candidatos que faziam a prova Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste domingo (11), na Escola Municipal Padre Sampaio, no município de José de Freitas, a 48 km de Teresina, ficaram sem