Conselheiro explica decisão do CFM de uso da cloroquina em casos leves de covid-19
Publicado por: Josely Carvalho | Data: 24/04/20

Conselheiro explica decisão do CFM de uso da cloroquina em casos leves de covid-19

O Conselho Federal de Medicina (CFM) liberou a prescrição da cloroquina e da  hidroxicloroquina para pacientes em estado leve e moderado do novo coronavírus, sem os médicos possam ser punidos. Anteriormente, os médicos poderiam prescrever o medicamento apenas para casos graves da doença. O médico Leonardo Luz, conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado do Piauí (CRM-PI), diz que vê a autorização com “bons olhos”.

“Há poucos dias fizemos uma recomendação no qual o médico não comete infração ética ao prescrever a cloroquina para pacientes com covid-19 confirmada.  O que muda é que o CFM traz o uso precoce da cloroquina e hidroxicloroquina e não só nos casos mais graves como vinha sendo colocado antes. O que se entende é que a cloroquina teria um efeito imunomodulador e faria mais sentido o uso da cloroquina em pacientes mais leves a moderados. É como se a medicação agisse antes do vírus entrar na célula do ser humano. Daí estaria justificado esse uso mais precoce”, disse o conselheiro do CRM-PI.

O médico frisa que o parecer do CFM condiciona o uso da medicação somente para casos confirmados e os pacientes ou um familiar devem assinar um termo de consentimento livre

“Todos os pacientes devem ser informados que isso é um tratamento de uso compassivo, ou seja, ele é utilizado na ausência de outro tratamento, que a gente ainda não tem um específico para a covid, aí a gente está autorizado a introduzir essas medicações. Não temos ainda estudos muito aprofundados sobre a eficácia dessa medicação. Alguns trabalhos mostraram que o paciente melhorou; outros pioraram e ainda há muitos trabalhos para saírem “, destaca Luz.

Ele acrescenta que o CRM-PI  oficiou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a possibilidade de comercialização fracionada do medicamento.

“Uma caixa, geralmente, vem 30 comprimidos e isso daria para tratar em média cinco pacientes. Então, seria um uso racional do fármaco. O medicamento poderia ser utilizado em casa porque muitos casos leves e moderados não precisa de internação. Assim, o médico por telemedicina pode prescrever o tratamento domiciliar. Porém, ressaltamos que existem alguns cuidados em relação ao coração e é avaliado previamente se o paciente pode ou não usar essa medicação”, acrescenta o médico.

Leonardo Luz ressalta que a medicação está em falta no mercado e está sendo comercializada apenas com receita médica para dificultar o acesso.

“Temos informações que o Governo Federal estaria disponibilizando para rede hospitalar essa medicação. A gente ainda não tem esses dados da Secretarai de Saúde do Piauí, mas o CRM cobrou para saber quanto tem de estoque aqui. Algumas farmácias manipuladas também conseguem manipular o fármaco”, conclui o médico que foi um dos pacientes curados da doença no Piauí.

Graciane Sousa
cidadeverde.com

sobre o autor

POSTS RELACIONADOS

NOTÍCIA DESTAQUE

Começa vacinação contra Aftosa em Santana do PI

A vacinação do rebanho bovino do município de Santana do Piauí, contra a Febre Aftosa, começa nesta Quarta-Feira (01). Esta é a 1ª etapa de vacinação de 2019. A 2ª fase

Jaicós

JAICÓS | Vigilância Sanitária divulga orientações a população para visitas no Dia de Finados; veja nota!

A Secretaria de Saúde de Jaicós, através da Vigilância Sanitária, divulgou uma nota técnica com recomendações a serem observadas pela população durante as visitas às sepulturas de seus entes, na

POLÍCIA

Bandidos furtam chácara na barragem de Caboclo, interior de Belém do Piauí

Uma chácara situada no povoado Caboclo, município de Belém do Piauí, foi alvo da ação de bandidos na noite deste domingo, dia 21 de junho. O imóvel fica localizado na