Depois de passar 64 dias na UTI com covid-19, paciente deixa hospital curada no Piauí
Publicado por: | Data: 09/10/20

Depois de passar 64 dias na UTI com covid-19, paciente deixa hospital curada no Piauí

A equipe do Hospital Regional Chagas Rodrigues, localizado no município de Piripiri, foi homenageada pela família da paciente Erinete de Sousa Melo, de 41 anos. Ela ficou 64 dias internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) fazendo tratamento da Covid-19 e saiu curada. Por conta disso, os familiares fizeram uma comemoração na saída do hospital em agradecimento aos profissionais de saúde do HRCR, com carta, presentes e cartazes.

Numa carta aberta, a família demonstrou gratidão à equipe do hospital. “Talvez não existam palavras suficientes para descrever a gratidão que nós sentimos por todos os profissionais de saúde que compõem o Hospital Regional Chagas Rodrigues, pessoas que se expõem a tamanho risco e se propõem a cuidar e zelar pelos seus pacientes”, dizem os familiares em nota.

A paciente Erinete de Sousa Melo foi admitida no HRCR dia 3 de agosto e ficou internada por 64 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), voltando curada para casa nesta terça-feira (6). A família levou presentes, cartazes e a carta de agradecimento para a equipe comemorando a recuperação da paciente.

Fonte: Governo do Piauí

sobre o autor

POSTS RELACIONADOS

Queimada Nova

Com serviço normal, trabalhadores de usinas eólicas ficam expostos no Piauí

Mesmo com decreto assinado pela prefeitura de Queimada Nova, denúncias de moradores das regiões Queimada Nova, Lagoa do Barro e Capitão Gervásio,  denunciam que empresas de parque eólicos estão mantendo

Desemprego no Piauí sobe e 107 mil estão sem trabalhar, revela IBGE

O percentual de desemprego no Piauí passou de 5,9% no último trimestre de 2014 para 7,2% no mesmo período de 2015. Apesar do aumento, a taxa no estado ainda é menor que a

GERAL

Diversidade cultural é uma das maiores riquezas do Estado do Piauí

O peixe Piau, que segundo algumas vertentes de pesquisa é o responsável por batizar o nome do Estado, até hoje, possibilita a sobrevivência de centenas de pescadores. As redes lançadas