Torcedores do Flamengo dão até o sangue para driblar o trabalho na estreia do Mundial
Publicado por: | Data: 17/12/19

Torcedores do Flamengo dão até o sangue para driblar o trabalho na estreia do Mundial

A estreia do Flamengo no Mundial de Clubes está sendo tratada como o jogo mais importantes da equipe no últimos 38 anos. Mas apesar da euforia para o duelo contra o Al-Hilal, da Arábia Saudita, um grande problema pode atrapalhar o torcedor rubro-negro: o horário. Marcada às 14h30, a partida será disputada enquanto muitos estarão em horário comercial, o que pede soluções criativas.

Caso de Luís Henrique, de 19 anos, que trabalha num restaurante em Barra de Guaratiba, Zona Oeste do Rio. Ele irá doar sangue no HemoRio para conseguir o atestado médico necessário e tirar um dia de folga.

— Vi uma galera falando sobre isso e fui pesquisar. A CLT permite que o trabalhador justifique sua ausência do trabalho para doação de sangue uma vez a cada 12 meses — conta.

Teve torcedor que fez o planejamento a longo prazo e já se antecipou no trabalho. Matheus Dias, de 20 anos, preferiu não informar onde trabalha mas disse ter direito a uma folga planejada por mês. Como a final do Mundial cairá no fim de semana, ele escolheu folgar durante a semifinal.

— Sabia que um dos jogos cairia num dia útil, portanto avisei ao meu patrão que no dia desse jogo eu iria pegar a minha folga. Se o Flamengo não fosse para o Mundial, eu não teria como mudar a data. Então, arrisquei — diz Matheus, que pediu a folga antes mesmo da final da Libertadores.

Reunião salvadora

Lucio Soares, de 57 anos, quase foi mandado embora por não avisar ao chefe que viajaria para Lima, no Peru, para ver a decisão da Libertadores. Ele conseguiu permanecer no emprego, mas já avisou: hoje trabalhará à distância, com um tablet, pois atenderá os clientes direto de um bar, onde assistirá à partida com amigos.

— Tive que comparecer para dar explicações em Barra Mansa para poder permanecer empregado. Foram bem legais comigo, apesar de ter recebido uma carta de advertência, com toda justiça. Mas hoje trabalharei pelo tablet ao longo do dia, atendendo aos clientes mesmo no horário do jogo— conta o vendedor de uma distribuidora.

Vanessa Sacavem, de 39 anos, trabalha num escritório de advocacia em Curitiba. Para poder acompanhar a semifinal, arrumou uma maneira de não ter os chefes por perto na hora do jogo:

— Como estamos em reta final de expediente jurídico, começamos a agendar reuniões. Consegui marcar uma para hoje, às 14h. Os advogados que são meus chefes vão para a reunião e eu fico tranquila para assistir ao Mengão.

Fonte: Extra.globo.com

sobre o autor

POSTS RELACIONADOS

GERAL

Governo quer fazer 16 leilões de rodovias até o final de 2016

O Ministério do Planejamento informou nesta sexta-feira (2) que o governo federal pretende realizar cinco leilões de concessões de rodovias em 2015 e outros 11 em 2016. Os projetos estão

GERAL

128 concursos abrem inscrição para 12 mil vagas e salários de R$19 mil

Pelo menos 128 concursos públicos no país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (18). Eles reúnem mais de 12 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Além

Simões

SIMÕES | Torneio de futebol movimenta a comunidade Sobradinho; veja fotos

Um ciclo de torneios de futebol amador tem movimentado as comunidades rurais do município de Simões. No último sábado, 26, foi a vez da localidade Sobradinho, onde os times de