Usada para emagrecer, “noz da Índia” pode ter causado morte de mulher no PI
Publicado por: Josely Carvalho | Data: 04/01/18

Usada para emagrecer, “noz da Índia” pode ter causado morte de mulher no PI

Médicos em Campo Maior investigam se a morte da universitária Raquel Delmiro, de 31 anos, está associada ao consumo da semente de “noz da Índia”, usada pela estudante para emagrecer. Ela sofreu uma parada cardíaca minutos depois de dar entrada no Hospital Regional com problemas na respiração.

Segundo o Portal de Campo Maior, Raquel havia apresentado quadro de mal estar antes, e chegou a realizar exames em Teresina, cujos resultados foram normais.

Vizinhos afirmaram que a universitária usava a noz há meses.

Na noite de ontem ela novamente passou mal e foi levada para o hospital, quando sofreu uma parada cardíaca. Os médicos tentaram reanimá-la, mas Raquel acabou morrendo.

O corpo da estudante está sendo velado no Bairro São Luís.

Conhecida pelas propriedades laxativas, e por isso usada como substância associada ao emagrecimento, a noz da Índia causa hipotensão.

No ano passado, a toxicidade e a ocorrência de óbitos no Brasil relacionadas ao consumo da noz fez com que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibisse a comercialização, fabricação, importação e distribuição da semente.

Fonte: 180Graus

Foto: reprodução

sobre o autor

POSTS RELACIONADOS

Campo Grande do PI

Veja fotos do jantar de confraternização dos professores de Campo Grande do Piauí

A Prefeitura Municipal de Campo Grande do Piauí, através da Secretaria de Educação, promoveu um momento especial para os professores, como forma de acolhe-los para mais uma no letivo. Na

GERAL

Três tipos de aplicativos que você deve evitar baixar no celular

Há apps que preocupam usuários e empresas não apenas por ocuparem muito espaço. Eles podem ser fontes de vírus e malwares (softwares maliciosos), e muitos são capazes de encher o

GERAL

Desemprego dispara com a chegada do coronavírus e chega a 12,2%

O desemprego já estava alto no Brasil no primeiro trimestre deste ano, quando a pandemia do novo coronavírus ainda só começava a afetar a economia nacional. De acordo com o Instituto Brasileiro de