Cícero Magalhães repercute caso de mensagens entre juiz Sérgio Moro e procurador
Publicado por: | Data: 20/06/19

Cícero Magalhães repercute caso de mensagens entre juiz Sérgio Moro e procurador


O deputado Cícero Magalhães (PT) afirmou nesta quarta-feira (19) que o ministro Sérgio Moro ‘devia ser preso’ ou deixar o cargo devido aos atos cometidos quando era juiz federal e conduzia os trabalhos da Operação Lava Jato, “que levou o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva à prisão, assim como dezenas de políticos e empresários”.

Ele apresentou um voto de louvor ao jornalista norte americano Glenn Greenwald e ao site The Intercept pela divulgação das conversas entre Moro e o procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol.

Segundo o deputado o jornalista Glenn Greenwald desmoralizou “o Judiciário feito por militantes políticos”, completou. O parlamentar  resolveu parabenizá-lo pela coragem de divulgar a maneira ‘criminosa’ como eles atuaram. “Ontem mesmo saíram mais conversas onde Moro dá uma bronca no procurador por ele ter tentado investigar o ex-presidente Fernando Henrique. Isso envergonha o judiciário brasileiro, mas as denúncias servem para desmoralizar essa casta”, declarou.

Fonte: Com informações da Alepi

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

POLÍCIA 0 Comments

Polícia desarticula quadrilha do tráfico e prende 10 no Piauí

Cerca de 12 pessoas, entre homens e mulheres, foram presos por envolvimento na comercialização de drogas na Zona Leste de Teresina. A operação comandada pela Delegacia Especializada de Prevenção e

POLÍCIA

Homem é morto em festa de aniversário no Piauí

A Polícia Civil de Bom Jesus está investigando o assassinato de Cleidimar Ferreira de Oliveira que ocorreu nesse sábado (03), por volta das 21h, durante uma festa de aniversário no

POLÍCIA

Facção do RS é presa por lavar dinheiro em empresa no Piauí

Uma operação chamada de Quebra-Cabeça foi deflagrada no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (17) e confiscou bens de uma facção que lavava dinheiro em empresas no Paraná, São Paulo,