Controle da Secretaria de Defesa Civil é disputado por três grupos políticos
Publicado por: Odaliana Carvalho Veloso | Data: 11/11/14

Controle da Secretaria de Defesa Civil é disputado por três grupos políticos

A Secretaria da Defesa Civil tornou-se a “menina dos olhos” de dois grupos políticos cujos representantes fizeram parte da coligação que ganhou a eleição, e de um terceiro cujos lideres estavam na coligação adversária. Um deles é comandado pelo primeiro suplente Ziza Carvalho (Pros), outro pelo deputado Fernando Monteiro (PTB) e outro pelo deputado federal Júlio César Lima, presidente do PSD, que deverá apoiar Wellington Dias a partir de janeiro do ano que vem.

Até o final do Governo Zé Filho a Secretaria da Defesa Civil, que foi motivo de disputa no inicio da administração, estará sob o controle de Júlio César, que fez a indicação para a pasta, vencendo uma quebra de braço que provocou a ida de Ziza Carvalho, filho do ex-secretário da pasta Ubiraci Carvalho, para a coligação encabeçada por Wellington Dias.

Ziza tem dito a amigos que seu grupo deseja comandar a Secretaria que teve seu pai como titular. Por seu lado, o deputado Fernando Monteiro (reeleito pelo PTB), sempre teve uma inclinação pelo órgão, que também comandou. No caso de Júlio César, que é presidente do PSD e conseguiu eleger também o filho, Georgiano, para a Assembleia Legislativa, espaço significativo lhe será reservado em troca do apoio. O deputado federal também confidenciou a amigos que aceitaria a Defesa Civil se se fosse confiada a seu grupo.

Fonte: GP1

sobre o autor

POSTS RELACIONADOS

POLÍTICA

Carlos Luís retorna à Câmara de Picos após anunciar afastamento

Quinze dias após anunciar da tribuna que estava se afastando do mandato para tratamento de saúde, o vereador Carlos Luís Nunes de Barros (PSDB) recuou. Ele desistiu da ideia e

POLÍTICA

PICOS | Prefeitura esclarece midiatização de ação popular que cobra transparência do Município

A Prefeitura Municipal de Picos (PMP) vem a público esclarecer que todas as informações sobre decretos, licitações e seus respectivos contratos, bem como, receitas e despesas relativas à COVID-19 estão

POLÍTICA

Nova política para o salário mínimo deve ser a primeira pauta-bomba

No momento em que o governo tenta fechar um acordo com o Congresso para viabilizar o Orçamento de 2020, ficou mais próximo o risco de parlamentares acionarem uma pauta-bomba com