Governo do Piauí diz que deixou de receber mais de R$ 40 milhões do FPE
Publicado por: Francieldo Araújo | Data: 23/10/18

Governo do Piauí diz que deixou de receber mais de R$ 40 milhões do FPE

O Governo do Estado afirma que deixou de receber mais de R$ 40 milhões com as quedas nos repasses do Fundo de Participação do Município. A administração do governador Wellington Dias (PT) reclama que tem sido afetada com perdas na arrecadação e diz faltar apoio da União.

Dos R$ 40 milhões 168 mil foram perdidos somente nesses dois últimos meses, setembro e outubro. No dia 09 de agosto desse ano, o boletim da Secretaria do Tesouro Nacional previa aumentar os recursos do FPE em 7% e 12,2%, consecutivamente, nos meses de setembro e outubro. No entanto, isso não ocorreu, e o Piauí alega que perdeu R$ 22 milhões e 315 mil no mês de setembro e R$ 17 milhões e 853 mil nesse mês de outubro.

O valor do FPE repassado em setembro desse ano foi de apenas R$ 177 milhões e 756 mil, sendo que a estimativa era que esse repasse seria na ordem de R$ 200 milhões e 071 mil. E apesar da terceira parcela do mês de outubro ainda não ter sido repassada, considerando a previsão do valor dessa última parcela, divulgada pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), não vai a previsão estimada para esse mês de outubro. Deve ser repassado um total de R$ 201 milhões e 856 mil, enquanto a previsão seria do Piauí receber R$ 219 milhões e 710 mil.

Os Estados, por meio do CONFAZ, tentam recuperar na Justiça perdas oriundas de medidas adotadas pela União, que diminuíram a arrecadação e prejudicaram os Estados e o Distrito Federal. Eles questionam, por exemplo, a reclassificação de receitas que integram o FPE, principalmente as advindas de programas de parcelamentos (REFIS), o que teria causado nos últimos cinco anos um prejuízo de R$ 14 bilhões para os Estados.

Pagamento de Precatórios 

O governo afirma que todas essas perdas no repasse do FPE têm feito com os Estados não consigam manter o equilíbrio financeiro necessário para honrar os compromissos, como, por exemplo, o pagamento dos precatórios.
Além do problema financeiro, o Estado afirma que deixou de efetuar esse pagamento porque  a questão está subjúdice.

Segundo a atual gestão,   há quatro meses o Piauí, por meio da PGE, ingressou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que pagasse apenas 1,3% e não 1,5% da Receita Corrente Líquida (RCL), como vinha pagando, com dívidas judiciais, os chamados precatórios.
O Estado já tinha entrado com o recurso junto ao TJ e como o mesmo foi negado recorreu ao STF, portanto, discorda do bloqueio judicial.

Fonte: Cidade Verde

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

POLÍTICA

PF vai apurar vazamento de dados de Bolsonaro e filhos

O Ministério da Justiça determinou a instauração de um inquérito para apurar o vazamento de supostos dados do presidente Jair Bolsonaro, seus filhos, ministros e aliados. O pedido da investigação

POLÍTICA

Wellington retorna cargo para Margarete e volta aos Estados Unidos

O governador Wellington Dias retornou o cargo de chefe do executivo estadual para Margarete Coelho nesta sexta-feira (31). Wellington Dias voltou hoje aos Estados Unidos para cumprir agenda de compromissos

POLÍTICA

Marcelo Castro desabafa e diz que oposição faz papel reprovável no Piauí

O deputado federal Marcelo Castro (MDB) usou as redes sociais para criticar duramente a oposição do Piauí. Segundo ele, há políticos trabalhando para prejudicar o Estado. Mais uma vez, o