Gás de cozinha vai aumentar mais 9%
Publicado por: Odaliana Carvalho Veloso | Data: 08/08/15

Gás de cozinha vai aumentar mais 9%

Cozinhar vai ficar mais caro em Teresina a partir do próximo mês. É que o GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), popularmente conhecido como gás de cozinha, deve sofrer reajuste de 9% em setembro. A informação foi repassada ontem pela Associação Brasileira dos Revendedores de GLP, ASMIRG-BR. Hoje, o preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) do GLP é de R$ 3,47, conforme a tabela do Confaz.

O último reajuste (11%) foi praticado na capital no mês de março, quando o botijão de gás pequeno (13 kg) que custava entre R$ 45 e R$ 48 subiu para R$ 50,00. Além do GLP, os reajustes atingiram a gasolina, o álcool etílico hidratado, o diesel, o gás natural, o querosene de aviação.

Segundo o diretor do Sindicato dos Revendedores de Gás (Sindirgás) de Teresina, Manoel do Nascimento Costa, todo mês de setembro acontece reajuste no GLP, mas que as companhias distribuidoras ainda não repassaram o valor total deste aumento para as 150 revendedoras da capital.

“Sabemos que o reajuste será entre 9 e 10%, mas não fomos informados de quanto em dinheiro será acrescido no valor atual. Só vamos repassar o valor para os consumidores quando as companhia distribuidoras (Nacional Gás, Ultragás e Liquigás), que abastecem Teresina, fizerem o primeiro disparo”, afirmou o diretor, acrescentando que fica a cargo da revendedora repassar ou não o rejuste para a clientela. “Na minha revendedora deixei de aplicar alguns reajustes porque não recompensava. O último reajuste de R$ 1,50 eu não executei. Mas se no próximo mês o valor for alto vou ter que seguir”.

O GLP destinado ao uso residencial não é reajustado pela Petrobras S.A desde 2002. No entanto, as distribuidoras têm realizado reajustes anuais. “Conforme as despejas deles aumentam, o valor do gás aumenta. Talvez seja devido à crise, a inflação, ao aumento dos impostos. Infelizmente. não temos como evitar”, afirmou

Para a dentista, Alessandra Moraes, moradora do bairro Marquês, zona Norte de Teresina, o aumento é reflexo de um abuso do Governo na cobrança de impostos em tudo que a população consome. “Aqui eu pago R$ 50 no botijão e nem sei quanto de imposto estou pagando. E pelo que estou acompanhando a inflação não para de crescer. É lamentável”, desabafou.
Quem tem estabelecimentos onde o gás é fundamental enfrenta uma situação difícil. É o caso do gerente de restaurante Herbert Costa, que usa cinco cilindros de 48 kg que custam em média R$ 160 a unidade. A troca é feita duas vezes por semana e diante do aumento, ele não sabe o que fazer. “Se a gente passar todos os aumentos para o cliente, daqui a pouco não teremos mais clientes”, lamentou.

Clandestinos- os revendedores teresinenses continuam na luta contra ao comércio clandestino do gás de cozinha. Segundo o sindicato, há proprietários que repassam a mercadoria a preço mais baixo para clandestinos que revendem sem nenhuma segurança e muitas vezes com peso adulterado.

“Os clandestinos pegam o botijão cheio e usam uma espécie de chupeta para retirar o gás e colocar em um botijão vazio. O consumidor pensa que está comprando um botijão com 13 quilos, mas na verdade está levando com peso bem abaixo, às vezes até 8 quilos” declarou Manoel Costa.

 

Diário do Povo

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

GERAL

Piauí tem até março de 2020 para ter o novo formato de RG

Nesta terça-feira (20), os documentos de identidade (RG) passam a ter um novo formato em nove estados brasileiros sendo eles: São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Acre, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Paraná e

GERAL

Acidente envolvendo moto e carro deixa homem ferido em Paulistana; veja as imagens

Por volta de 19h20min da noite desta quarta-feira (04), aconteceu um acidente envolvendo uma motocicleta Honda 150 de cor vinho, pilotada por Francisco José de Oliveira Filho, conhecido como “Chiquinho

GERAL

Apagão deixa 350 mil consumidores sem energia em 77 cidades do Piauí

Um apagão atingiu a região metropolitana de Teresina e mais 76 municípios nesta quinta-feira (16). Segundo a Eletrobras Distribuição Piauí, cerca de 380 mil consumidores ficaram sem energia elétrica durante