Cearense e bebê são encontrados mortos dentro de casa na Holanda
Publicado por: Josely Carvalho | Data: 08/11/19

Cearense e bebê são encontrados mortos dentro de casa na Holanda

Uma cearense de 32 anos e o bebê foram encontrados mortos dentro de casa na cidade de Diemen, na Holanda. De acordo com o irmão de Patrícia de Oliveira Santos, a família foi informada sobre as mortes no dia 18 de outubro, mas até agora não tem mais informações sobre os corpos. Um homem foi preso, mas a família da cearense ainda não sabe se ela foi assassinada ou se morreu de causas naturais. As informações são do G1.

O Consulado-Geral do Brasil em Amsterdã confirmou as mortes e informou que acompanha o caso e está em contato com familiares da brasileira. A reportagem também entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores e com o Consulado da Holanda em Fortaleza, mas ainda aguarda resposta.

Patrícia de Oliveira Santos é natural de Fortaleza e tinha um relacionamento de três anos com um holandês, identificado apenas como Dennis, de 48 anos. O namorado vinha da Holanda frequentemente para visitar a cearense e passava cerca de três meses com ela na casa da família em Fortaleza.

Em uma das visitas do holandês, Patrícia de Oliveira engravidou e o namorado resolveu levar a cearense para morar na Holanda. Ele enviou as passagens aéreas e a mulher resolveu se mudar do Ceará.

Grávida de oito meses, a brasileira embarcou para Amsterdã no dia 28 de setembro, deixando dois outros filhos pequenos, de oito e nove anos em Fortaleza.

Conforme a Defensoria Pública da União (DPU), a prioridade no momento “é esclarecer os fatos”. “A DPU/CE irá oficiar o Ministério das Relações Exteriores sobre a situação e solicitará diligências por parte do consulado brasileiro em Amsterdam no sentido de apurar a ocorrência do óbito”, informou o órgão por nota.

Sem contato com a família

Segundo a família, Patrícia mantinha contato todos os dias e relatava que tudo estava bem. Entretanto, depois de algumas semanas o cenário mudou. Ela passou a dizer por meio de mensagens nas redes sociais que o companheiro tinha se tornado ciumento e agressivo e que não queria mais que ela tivesse a criança, incentivando-a inclusive a abortar.

Patrícia informou que teria que deixar de manter contato frequente com a família, pois o namorado não gostava que ela ficasse no celular. A partir de então, os parentes não tiveram mais contato algum com a mulher.

Somente no dia 18 de outubro, o irmão da vítima recebeu a notícia da morte de Patrícia. Ela teria sido encontrada morta dentro de casa ao lado do corpo do bebê, segundo o consulado.

Falta de informações

A família não tem informações sobre as circunstâncias da morte da cearense nem se o bebê encontrado morto é o filho que Patrícia esperava, quando saiu do Brasil.

Segundo a família, a única informação que obtida foi de que um homem foi preso, mas que não há confirmação se é o namorado holandês. As autoridades holandesas também garantiram que estão providenciando o traslado dos corpos.

O Consulado-Geral do Brasil está acompanhando o caso, mas não repassou detalhes sobre o ocorrido. “Em atendimento ao direito à privacidade dos envolvidos, bem como à Lei de Acesso à Informação e ao decreto 7.724, o Itamaraty não pode fornecer informações adicionais sobre o assunto”, informou o órgão em nota.

Fonte: G1

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

Jacobina do Piauí 0 Comments

Polícia Militar prende homem portanto droga em Jacobina

Nesta terça-feira, 03, a Polícia Militar da cidade de Jacobina do Piauí, prendeu no município, o suspeito, Adison de Lima Carvalho, de 20 anos,  portando várias trouxinhas de maconha e uma

POLÍCIA

Dono de hamburgueria é preso no PI suspeito de furto de energia em R$ 100 mil

Um empresário, proprietário de uma hamburgueria e de uma loja de conveniência em um posto de combustíveis da zona leste da Capital, foi preso em operação do Grupo de Repressão

POLÍCIA

Preso casal suspeito de comandar tráfico de drogas em presídio no Piauí

Um casal foi preso supeito de comandar o tráfico de drogas dentro da Penitenciária Regional de Esperantina, ao Norte do Piauí. Eles foram identificados como Francisco Silva Castro e Naiara