Bancos terão de destinar mais R$ 6 bilhões para pequenos produtores
Publicado por: Francieldo Araújo | Data: 01/02/19

Bancos terão de destinar mais R$ 6 bilhões para pequenos produtores

Os bancos terão de destinar mais R$ 6 bilhões dos depósitos à vista e da poupança rural para pequenos produtores rurais, definiu hoje (31) o Conselho Monetário Nacional (CMN). Os recursos serão empregados nas operações de custeio agrícola e pecuário do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp).

A medida é transitória e valerá de 1º de fevereiro a 30 de junho. Segundo o Banco Central (BC), o direcionamento adicional foi necessário para fazer frente ao aumento da demanda por crédito rural por parte dos pequenos produtores nesta safra. “A mudança vai garantir os recursos até o fim da safra”, disse o chefe do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle de Operações do Crédito Rural do BC, Cláudio Filgueiras.

Atualmente, os bancos são obrigados a destinar 30% dos depósitos à vista e 60% dos depósitos na poupança rural para o crédito rural. Além disso, as instituições têm de empregar 35% dos recursos da Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) para esse tipo de crédito. Com a mudança, os bancos terão de destinar, além desse valor, mais R$ 6 bilhões para o Pronaf e o Pronamp.

LCA
O CMN também liberou as condições de aplicação das LCA, título emitido por bancos públicos e privados para financiar operações de crédito rural rurais. Por meio desse papel, os investidores emprestam dinheiro para os bancos em troca de receberem o dinheiro de volta com alguma correção e isenção de Imposto de Renda.

Até agora, os bancos tinham de usar 35% das emissões de LCA para emprestarem aos pequenos produtores rurais com juros limitados a 8,5% ao ano. Os 65% restantes podiam ser emprestados a qualquer taxa para o produtor rural. Os recursos da LCA são emprestados sem distinção entre pequenos, médios e grandes produtores.

O CMN revogou o sublimite de 35%. A partir de amanhã (1º), todos os recursos obtidos com as emissões de LCA serão emprestados com taxas definidas pelo mercado. Segundo Filgueiras, essas taxas atualmente estão entre 9,5% e 10% ao ano. Ele, no entanto, disse que a taxa média poderá cair e ficar próxima de 8,5% ao ano porque a mudança vai ampliar o mercado de LCA no país.

Na safra de 2017/2018, informou o técnico do BC, as emissões de LCA renderam R$ 30 bilhões para o crédito rural. Na safra 2018/2019, as emissões saltaram para R$ 46 bilhões. “É um mercado em crescimento, que vai crescer ainda mais com a livre negociação das taxas”, disse o técnico do BC.

Fonte: Agência Brasil

sobre o autor

DEIXE UM COMENTÁRIO


POSTS RELACIONADOS

Padre Marcos

Georgiano Neto pede ao governo asfalto na estrada que liga Padre Marcos a Alegrete

O deputado estadual Georgiano Neto (PSD) apresentou na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) requerimento solicitado do diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagens do Piauí (DER-PI) obras de pavimentação.

NOTÍCIA DESTAQUE

CARIDADE | Definidos os finalistas do Campeonato Municipal de Futebol

O Campeonato Municipal de Caridade do Piauí está chegando em sua reta final e neste final de semana, 12 e 13 de janeiro, entraram em campo os times Juventus, Ingazeira,

NOTÍCIA DESTAQUE

Prefeito Zé Ulisses participa de encontro de gestores municipais e anuncia conquistas para Simões

Uma comitiva do município de Simões, liderada pelo prefeito José Wilson de Carvalho (Progressistas), participou, no último sábado (14), em Jacobina do Piauí, do quarto encontro municipalista promovido pela Associação